Porto Alegre inicia vacinação contra dengue e retoma contra a Covid-19

27/05/2024 18:04
Cristine Rochol/PMPA
SMS
XBB é a vacina contra Covid-19 fabricada pela Moderna

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disponibiliza duas novas vacinas em Porto Alegre a partir de quarta-feira, 29. A Qdenga, contra a dengue, estará disponível para crianças e adolescentes entre 10 anos e 15 anos incompletos (14 anos, 11 meses e 29 dias). Já a vacina monovalente XBB, da fabricante Moderna, passa a ser o imunizante referência para todos os públicos aptos a receber a dose e garantir proteção contra a Covid-19.

A intenção da pasta municipal com a oferta dos imunizantes é reduzir complicações, hospitalização e óbitos decorrentes de infecções pelos vírus da dengue e da Covid-19 na população-alvo apta a receber ambas as imunizações. No entanto, embora as vacinas Covid-19 possam ser administradas simultaneamente, ou a qualquer momento antes ou depois de outras vacinas para adultos, adolescentes e crianças, incluindo vacinas atenuadas e inativadas, o intervalo mínimo em relação à Qdenga é de 24 horas.

Qdenga - O esquema vacinal prevê duas doses do imunizante, com intervalo mínimo de três meses. A vacina estará disponível em toda a rede municipal de saúde, nas unidades de saúde, no horário de funcionamento de cada local. As crianças e os adolescentes que receberem a primeira dose nesta etapa terão garantida a completude do esquema. A vacina é tetravalente, ou seja, fornece proteção aos quatro vírus da dengue. Estudos realizados após o esquema vacinal completo indicam eficácia geral de 80,2% em crianças e adolescentes 12 meses após a aplicação da segunda dose.

Crianças e adolescentes na faixa etária prioritária para a vacinação que tiveram dengue devem aguardar seis meses para receber a primeira dose da vacina. Caso a infecção ocorra após o início do esquema, a segunda dose precisa ser feita pelo menos 30 dias após o início dos sintomas da doença.

A expectativa é de que Porto Alegre receba um total superior a 72 mil doses em todas as remessas. Segundo dados do Censo 2022 do IBGE, a Capital tem 72.898 crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos.

Moderna - A vacina monovalente XBB passa a ser referência para proteção contra Covid-19. Atualizada para a cepa Ômicron XBB 1.5 (por isso o nome), será utilizada tanto para o calendário de rotina do Programa Nacional de Imunizações (crianças de seis meses a menos de 5 anos anos - 4 anos, 11 meses e 29 dias) quanto para os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde (pessoas de 5 anos ou mais e com maior vulnerabilidade ou condição que aumente o risco para formas graves da doença).

O volume da dose depende da faixa etária de quem a recebe. O esquema varia de acordo com o público-alvo e situação vacinal da pessoa:

Calendário de rotina:

- Crianças de 6 meses a menores de 5 anos não vacinadas - duas doses, com intervalo de 4 semanas entre as doses;

- Crianças com esquema completo de vacinação (3 doses) com Coronavac ou Pfizer pediátrica, recebem uma dose de reforço da XBB. O intervalo mínimo entre a terceira dose e a XBB deve ser de três meses;

- Crianças com esquema incompleto (menos de 3 doses); completar o esquema inicial de 3 doses com a XBB. Nesse caso, o intervalo entre D1 e D2 deve ser de 4 semanas e 8 semanas entre a D2 e a D3; Caso as duas primeiras doses tenham sido aplicadas com Coronavac, o intervalo para D3 é de 4 meses.

- Crianças imunocomprometidas seguirão esquema de 3 doses. O intervalo entre D1 e D2 deve ser de 4 semanas e 8 semanas entre a D2 e a D3.

Grupos prioritários (pessoas com 5 anos ou mais e com maior vulnerabilidade ou condição que aumente o risco para formas graves da doença):

- O esquema primário passa a ser de uma dose da XBB;

- Todas as pessoas dos grupos prioritários com ou sem histórico de dose de vacina monovalente ou bivalente devem receber uma dose da XBB, com intervalo mínimo de 3 meses da última aplicação;

- Idosos com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas e imunocomprometidos devem receber duas doses da XBB, com intervalo de seis meses entre uma aplicação e outra.

- Pessoas imunocomprometidas que nunca foram vacinadas contra Covid-19 têm recomendação de receber três doses, com intervalo de 4 semanas entre a primeira e a segunda doses e 8 semanas entre a segunda e a terceira doses.

Clique para acessar os endereços e horários de atendimento das Unidades de Saúde.

Confira as unidades de saúde referências dos serviços temporariamente fechados

Norte  

CF Diretor Pestana - referência CF IAPI/CF Modelo
CF Navegantes - referência CF IAPI/CF Modelo
US Asa Branca - referência US Ramos
US Farrapos - referência CF IAPI/CF Modelo
US Fradique Vizeu - referência CF IAPI/CF Modelo
US Ilha da Pintada - referência CF IAPI/CF Modelo
US Ilha do Pavão - referência CF IAPI/CF Modelo
US Ilha dos Marinheiros - referência CF IAPI/CF Modelo
US Nova Brasília - referência US Santo Agostinho
US Sarandi - referência US Santo Agostinho/US Ramos
US Vila Elizabeth – referência US Assis Brasil
US Mario Quintana - referência CF IAPI/CF Modelo     

Leste   

US Tijuca – referência CF Morro Santana
US Vila Safira – referência US Chácara da Fumaça
US Viçosa – referência US Lomba do Pinheiro                 

Oeste 

CF Santa Marta - referência CF Modelo

Sul       

US Lami - referência US Paulo Viaro
US Morro dos Sargentos – referência US Guarujá

Vacinação contra Covid-19 também disponível nas unidades móveis com atendimentos em saúde para a população geral:

Boulevard Assis Brasil (avenida Assis Brasil, 4320). De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e sábado, das 9h às 13h (somente vacinação);

Bourbon Assis Brasil (avenida Assis Brasil, 164). De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e sábado, das 9h às 13h (somente vacinação);

Shopping Total (avenida Cristóvão Colombo, 545). De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e sábado e domingo, das 10h às 19h;

Largo Zumbi dos Palmares (avenida Loureiro da Silva, 730). De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e sábado e domingo, das 10h às 18h.

Campanha contra poliomielite - Prevista para iniciar em todo o Brasil nesta segunda-feira, 27, a campanha de vacinação de crianças contra a poliomielite está suspensa no Rio Grande do Sul. A decisão da Secretaria Estadual de Saúde é seguida pela SMS e é decorrente do estado de calamidade pública no território gaúcho. Não há previsão para início da campanha no Estado ou em Porto Alegre.

 

Patrícia Coelho

Cristiano Vieira

Acompanhe a prefeitura nas redes