Ações na Zona Leste destacam cuidados para evitar aumento de casos de dengue

31/12/2023 08:40
Cristine Rochol/PMPA
SMS
Agentes de combate a endemias esclarecem moradores sobre focos de água parada nos pátios

A prefeitura desenvolve uma série de ações para minimizar os efeitos da dengue em Porto Alegre. Na Zona Leste, que concentra 80% dos casos da doença, uma campanha orienta que os moradores eliminem focos de água parada para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Sintomas como febre acompanhada de dor de cabeça e dor no corpo podem indicar dengue. Nesse caso, deve-se procurar atendimento na unidade de saúde.

A campanha inclui faixas colocadas em locais de grande circulação, como mercados e unidades de saúde, cartazes, folders, carro de som e dois displays com materiais informativos e a participação de agentes de combate a endemias para esclarecer a comunidade sobre a importância da prevenção. 

Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgados no último boletim informativo indicam 5.611 casos confirmados de dengue em Porto Alegre até 25 de novembro (semana epidemiológica 47). Do total, 5.075 foram contraídos na cidade, a maioria na Zona Leste. O bairro Vila São José reúne o maior número de casos até o momento, com 1.637 confirmações. As notificações de suspeitas de pessoas residentes na cidade somam 8.686. Os dados são parciais e estão sujeitos a revisão pela Vigilância Epidemiológica da SMS. Em 2022, foram confirmados 5.088 casos de dengue na Capital.

Confira alguns cuidados para evitar água parada, ambiente no qual as fêmeas do mosquito se reproduzem:

No pátio ou área externa - Verifique os vasos de plantas, retirando os pratinhos. Passe esponja para limpar os ovos aderidos.
- Bromélias e outras plantas que podem acumular água: revise semanalmente e remova a água sempre que possível (se estiverem em vasos vire de cabeça para baixo). 
- Veja se tem materiais em uso e que possam acumular ou estejam com água (baldes, potes, garrafas): secar, tampar ou colocar em local coberto. Caixas d'água, tonéis ou recipientes para armazenamento de água da chuva: manter tampados sem frestas ou colocar tela milimétrica para cobrir.
- Recolha o material que poderá ser descartado (latinhas, embalagens plásticas, vidros, garrafas PET, etc) e coloque em saco plástico para a coleta seletiva de lixo do DMLU.

No imóvel - Veja se a calha está desimpedida, removendo folhas e outros materiais que possam impedir o escoamento adequado da água;
- Ralos, especialmente de águas de chuva: verifique se estão com água em período seco; nesse caso, coloque tela milimétrica ou adicione, semanalmente, água sanitária no ralo;
- Piscinas plásticas pequenas: devem ser periodicamente esvaziadas ou tratadas com cloro;
- Piscinas fixas: devem ser limpas uma vez por semana e tratadas com cloro sempre.

Outras orientações podem ser obtidas no site Onde está o Aedes? 

 

Vanessa Conte

Andrea Brasil

Acompanhe a prefeitura nas redes