Boletim apresenta dados de vírus respiratórios na Capital neste ano

22/04/2024 14:06

A Vigilância Epidemiológica de Porto Alegre recebeu 514 notificações de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) entre moradores da Capital até 15 de abril. Os vírus mais prevalentes foram o Sars-cov-2 (novo coronavírus) e a Influenza A H3N2. Dos 514 casos, 209 estão em investigação, 258 têm desfecho cura e 47 evoluíram a óbito, dos quais 31 por Covid-19. Os dados estão no boletim de vigilância de vírus respiratórios 2/24, divulgado nesta segunda-feira, 22, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

O boletim apresenta dados de Síndrome Gripal (SG) e de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). O documento traz o monitoramento dos vírus de interesse em saúde pública a partir dos casos ambulatoriais de Síndrome Gripal (SG) notificados no sistema Sivep-Gripe Sentinela e no E-SUS Notifica. Além destes, apresenta análise de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) internados, notificados no Sivep-Gripe, e também dados sobre casos de Covid-19 ambulatorial.

Em relação à Covid-19 ambulatorial, até 15 de abril foram notificados 4.218 casos suspeitos, entre residentes de Porto Alegre. A taxa de letalidade para os casos de SRAG, considerando todas as classificações finais, foi de 9,3% no período analisado. A letalidade de SRAG por Covid-19 continua sendo a mais elevada, atingindo 25% dos casos, seguida pelas SRAG por Influenza e SRAG não especificada. Esta taxa não considera os casos que ainda não possuem classificação final. A estatística é cumulativa, com dados a partir de 31 de dezembro de 2023 (início da SE 1/2024) até 15 de abril (final da SE 15).

A enfermeira Jana Ferrer, chefe da Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da Diretoria de Vigilância em Saúde (EVDT/DVS/SMS), lembra que a SRAG é caracterizada por quadro de síndrome gripal que evolui para quadro grave com comprometimento da função pulmonar e necessidade de hospitalização. As causas virais mais importantes atualmente são os subtipos da Influenza, A e B, Vírus Sincicial Respiratório e SARS-COV-2 (o coronavírus). 

O boletim também traz acesso ao painel com dados públicos sobre condições respiratórias em Porto Alegre, o BI das doenças respiratórias. A diretora da Vigilância em Saúde da SMS, Evelise Tarouco da Rocha, explica que a ferramenta abrange dados sobre SRAG e internações gerais por condições respiratórias, permitindo consulta sobre as principais doenças que geram internações por causas respiratórias na cidade, os serviços envolvidos e a proporção de internações por condições respiratórias frente ao total de internações em cada faixa etária. O BI está disponível no link.

 

Patrícia Coelho

Lissandra Mendonça

Acompanhe a prefeitura nas redes